Site Autárquico de Miranda do Corvo

Pesquisar

Concursos de Montras e de Compras no Comércio Tradicional animaram Natal em Miranda do Corvo

08/01/2020

A Câmara Municipal de Miranda do Corvo promoveu no último período festivo mais uma edição dos tradicionais concursos de “Montras e Árvores de Natal” e “Natal 2019 é no Comércio Tradicional”. As duas iniciativas registaram uma forte adesão dos estabelecimentos comerciais do concelho, tendo durante o mês de dezembro decorado as suas montras com efeitos de Natal ou construído uma árvore de Natal. Estas decorações motivaram a visita de muitos curiosos que, ao mesmo tempo, aproveitaram para fazerem as suas compras de Natal.

No concurso das “Montras e Árvores de Natal”, os “Baldios de Vila Nova” venceram pelo quarto ano consecutivo, partilhando este ano o primeiro lugar do pódio com a loja “Imagin’Arte - Artesanato e Presentes”. O terceiro lugar foi atribuído a “Ana Ferrão - Solicitadora”. A escolha do júri teve em conta a originalidade e criatividade, harmonia e estética do conjunto e cores e materiais utilizados nesta iniciativa que contou com a participação de cerca de três dezenas de estabelecimentos de todo o concelho. O júri foi constituído por personalidades externas ao Município: Luís Martins (arquiteto), Bianca Matos (Jornal Mirante) e João Paulo Lucas (Rádio Dueça).

Em paralelo com esta iniciativa, decorreu o concurso “Natal 2019 é no Comércio Tradicional”. No sorteio realizado esta segunda-feira, foram premiados os seguintes vouchers: Fernando Simões (Miranda do Corvo), Manuela Rodrigues (Carapinhal) e Maria Odete Ferreira Pinto (Miranda do Corvo). Os três sorteados irão receber, respetivamente, um vale de compras de 200 euros, 100 euros e 75 euros nos estabelecimentos aderentes.

Refira-se que, durante o mês de dezembro, o município distribuiu 15 mil cupões junto dos estabelecimentos comerciais aderentes, os quais foram entregues aos clientes por cada 10 euros de compras.  Desta forma, estima-se que esta ação promocional levada a efeito pelo município mirandense teve um impacto económico da ordem dos 150 mil euros.

AGENDA

Multimédia