Ir para conteúdo
Presidente da Câmara exige “intervenção de emergência”
11 dezembro, 2020

Presidente da Câmara exige “intervenção de emergência”

O presidente da Câmara Municipal de Miranda do Corvo, Miguel Baptista, exigiu hoje “uma intervenção musculada de emergência” das autoridades de saúde para ajuda à Fundação ADFP. No final da reunião extraordinária do Conselho Municipal de Proteção Civil, o autarca reconheceu que o recente surto de covid-19 registado numa das valências da Fundação ADFP pode levar a que o concelho continue a viver uma situação difícil nas próximas semanas, ao contrário do que está a acontecer a nível nacional.
 
“Quando surgiu o primeiro surto a situação também se agravou na comunidade; agora que estávamos a melhorar os nossos índices, acontece este segundo surto. Exigimos das autoridades regionais e nacionais de saúde uma intervenção de caráter de emergência e musculada de ajuda à instituição, de modo a evitar o eventual agravamento”, disse Miguel Baptista.
 
Na sua intervenção, o autarca recordou que o surto de novembro acontece precisamente na altura em que o concelho de Miranda do Corvo ficou sem delegado de saúde. “Desde o início do mês de novembro que temos feito diligências junto das autoridades de saúde – Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC), Direção-Geral da Saúde e Ministério da Saúde - para a sua rápida substituição e, por outro lado, que fosse dada especial atenção ao Centro Comunitário da Fundação ADFP. A nossa insistência levou a que no dia de ontem tivesse ocorrido uma reunião de emergência em que participou o secretário de Estado João Paulo Rebelo, a ARSC e o Delegado Regional de Saúde, onde nos foi garantido que a nova delegada de saúde tomará posse no próximo mês de janeiro”, afirmou.
 
Miguel Baptista lamentou, ainda, que os números de novos casos comunicados ao Município de Miranda do Corvo continuem a não estar corretos, solicitando “maior rigor e transparência” às autoridades de saúde.
Segundo dados revelados pelo Delegado de Saúde do Agrupamento de Centros de Saúde do Pinhal Interior Norte Queimadela Batista, que hoje esteve presente na reunião extraordinária do Conselho Municipal de Proteção Civil, o Município de Miranda do Corvo está esta sexta-feira (11 de dezembro) em risco “Muito Elevado” (índice 645), o que corresponde a 82 novos casos nos últimos 14 dias.
 
“A situação atual já é grave. Se nada for feito, o concelho de Miranda do Corvo corre o risco de ficar numa situação insustentável”, lamentando que a população esteja "privada da sua liberdade e o comércio e a restauração a sofrer graves prejuízos”, concluiu o Presidente da Câmara.